2.15.2018

Cuidado com as flores tóxicas

Cuidado com as flores tóxicas e venenosas

Existem flores de todo o tipo, as comestíveis que embelezam e enriquecem os nossos pratos, as que alegram os nossos jardins e as que não deviam nem estar perto. Existem um grande sem numero de flores que apresentam características tóxicas que podem inclusive levar à morte, algumas são tão poderosas que até mesmo o contacto pode provocar danos sérios. Se têm crianças em casa, vale repensar nas flores que pretende adquirir.

10 flores belas e potencialmente tóxicas


1 Antúrio (Anthurium). Esta planta quando em contacto com a boca pode provocar inchaço e inflamação da boca e lábios, dificuldade de deglutição, poderá inclusive afectar a voz provocando rouquidão.

2 Glória da manhã (Ipomeoea tricolor) É uma trepadeira herbácea de características invasoras, com flores em forma de funil que se abrem pela manhã e se fecham antes do inicio da noite. A planta apresenta uns pequenos pelos que podem provocar irritações nas parte mais sensíveis da pele e as sementes contém substancias psicoativas que criam reacções adversas quando ingeridas.

3 Jarros(Zantedeschia aethiopica) ou boca de jarro, Lírio do Nilo e copo de leite . Todas as partes da planta são tóxicas e perigosas, porém as raízes são as mais tóxicas. Os sintomas apresentam-se como vómitos, diarreia, ardor e inchaço na língua, boca e garganta que poderão dificultar a passagem de ar. O contacto com a seiva também pode ocasionar irritações na pele mais sensível.

4 Maravilhas (Mirabilis jalapa) ou Belas Noites, Boas Noites, Beijos de Frade. É uma planta ornamental que apresentam uma grande variedade de cores, sendo a rosa forte a mais comum. O seu uso deve ser evitado, principalmente as raízes e as sementes. O contacto com a pele pode causar irritações cutâneas e quando ingerida pode provocar diarreias, náuseas e fortes dores de estômago.

5 Loendro (Nerium oleander) ou cevadilha. O aloendro é uma das plantas ornamentais mais cultivas em Portugal, é frequentemente encontrado nas divisórias das auto estradas,  nos parques e jardins públicos, apesar de ser um arbusto extremamente tóxico. Toda a planta é extremamente venenosa, quando ingerida basta uma folha para matar um homem. O contacto com a derme pode causar irritações cutâneas nas peles sensiveis. Os sintomas de toxidade após a ingestão: irritação da boca, náuseas, vómitos e dores abdominais, seguidas de pulsação fraca, dores de cabeça, confusão mental, vertigens, sonolência, falta de ar, coma e morte.

6 Lírio do vale (Convallaria majalis) ou campainhas, Flor de maio,  Muguet, Muguete, Cirio de nossa Senhora, Convalária. É uma planta ornamental  que simboliza prosperidade e felicidade. É oferecida no dia das mães em alguns países como a França, embora apresente características tóxicas. Em pequenas quantidades não provoca muitos danos. mas à medida que a dose aumenta os sintomas vão-se manifestando com náuseas, cólicas, podendo até levar ao aumento do ritmo cardíaco.

7 Acónitos (Aconitum napellus) ou Mata Lobos e Rainhados Venenos. É uma planta muito tóxica da família das ranunculaceaea, sendo que todas as suas variedades são venenosas. Na idade média o veneno do acónito foi usado em flechas pelos arqueiros. Os sintomas de envenenamento por esta planta são falta de ar, salivação exagerada, tremores e aumento do ritmo cardíaco. 10 gr da raiz desta planta são suficientes para matar um ser humano. O acónito deve ser manuseado com luvas, já que ele pode igualmente provocar sintomas pelo toque.

8 Campainha (Digitalis purpurea) ou dedaleira. Esta planta têm princípios activos importantes para a medicina, mas para quem não sabe usá-la ela torna-se muito perigosa. As suas flores quando ingeridas tornam-se tóxicas e levam a problemas cardíacos, contracções estomacais, náuseas e vómitos.

9 Trombeta de anjo (Brugmansia suaveolens). Apenas o nome é angelical, esta planta é muito perigosa e pode levar a sintomas de paralisia dos músculos, taquicardia, confusão visual e auditiva, dilatação das pupilas e morte.

10 Rododendro (Rododendrum) nos quais estão incluídos as azáleas. Toda a planta é tóxica e pode levar a sintomas de vómitos prolongados, arritmias cardíacas, dores de cabeça, falta de coordenação, convulsões e em casos mais graves a morte. (Saiba mais sobre a azálea)

Algumas destas flores são utilizadas em medicamentos homeopáticos, porém em doses controladas sob o risco de criar feitos nefastos.

2.07.2018

Violeta Africana - Saintpaulia

A Violeta africana (Saintpaulia) é uma pequena planta originária das zonas montanhosas da Tanzânia, em África. Apresenta flores simples ou dobradas que vão do azul violáceo, ao malva e ao branco. As folhas são cordiformes, peludas, verdes na face superior e meio encarnadas na face inferior. No conjunto forma uma roseta colorida que se mantém por vários meses.

Cuidados a ter com a violeta africana 


 Luz: A violeta nrcessita de luz constante, mas nada de sol directo. O local ideal situa-se perto das janelas onde os raios solares não incidam directamente. Estas condições são indispensáveis para quem pretende ter violetas em flor o ano inteiro.

 Temperatura- A temperatura deve ser equilibrada, não deve ter muitas oscilações entre o dia  e a noite. A temperatura ideal situa-se entre os 18ºC e os 22ºC, acima dos 30º ou abaixo dos 18º,  a planta sofre uma paragem de crescimento que prejudica o seu florescimento.

 Regas:A rega deve ser muito moderada , já que em excesso pode levar ao aparecimento de fungos e levar ao seu apodrecimento. Dirija a água à temperatura ambiente directamente ao substrato, evitando molhar as folhas e as flores da violeta. Nunca deixe água acumulada no prato e deixar secar a superfície do substrato entre as regas. O ideal é fazer-se a imersão da planta num recipiente com água morna durante alguns minutos, retirar e deixar a drenar.

 Transplante:  Mude a planta quando as raízes invadirem por completo o substrato do recipiente. A violeta apresenta um sistema radicular pequeno, pouco profundo e de crescimento lento, pelo que é preferível escolher  pequenos, baixos e largos. Empregue um substrato à base de húmus e turfa.

 Cuidados: As violetas são muito sensíveis à humidade, prefira vasos de barro aos de plástico, pelo facto de eles serem porosos e absorverem a humidade. Retire as folhas envelhecidas e a flores murchas de modo a facilitar o desenvolvimento de novos caules.

 Fertilização: Fertilize uma vez a cada duas semanas ao longo do ano, excepto no inverno.


Aspectos sensíveis da violeta africana 


Manchas escuras nas folhas e manchas brancas nas flores: Excesso de humidade, reduza a rega e retire para um local mais seco.

Descoloração das folhas e crescimento exagerado dos pecíolos: Luz insuficiente, coloque num local mais iluminado, sem a incidência dos raios solares.

Manchas ou estrias nas folhas: Significam que regou com água demasiado fria.

Podridão cinzenta: O bolor cinzento que se espalha-se sobre as folha é causado por ambientes frios, húmidos e poucos arejados. Elimine imeditamente as folhas afectadas e mude a planta para um local mais arejado e um pouco mais quente.


Multiplicação da violeta africana 


A violeta africana reproduz-se por estaca de folha. Entre a Primavera e o verão arranque folhas com pecíolo. Ponha a folha em contacto com o substrato ( 50 % de turfa e 50 % de areia) enterrando um pouco a base da folha com o pecíolo. Mantenha a terra quase seca. Passado várias semanas irá surgir um pequeno gomo que irá constituir uma nova planta.

Curiosidades sobre a Violeta africana


Como não tolera o excesso de humidade e as suas folhas não suportam o contacto com a água, a violeta africana no seu habitat natural cresce no meio de gretas de paredes verticais.

A Saintpaulia é conhecida vulgarmente por violeta Africana pertence à família das Gesneriaceae. Recebeu o seu nome em referencia ao pesquisador de nacionalidade Alemã. o Barão Walter Von Saint Paul foi que a descobriu em 1892, posteriormente enviou as suas sementes para um botânico amador na Alemanha e dai se espalhou pelo mundo.

Os antigos Gregos viam a violeta africana com uma símbolo de amor e fertilidade. No passado era utilizada em determinados fins medicinais. Em 1829 era utilizada em homeopatia para o tratamento de sinusite e reumatismo, pelo médico alemão M. Staptf.

Se gosta de plantas com flores coloridas sugiro que veja também as nossas dicas para o: cultivo da Kalanchoe
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...