Cacto estrela - Stapélia Hirsuta

Cuidados com o Cacto estrela Stapélia Hirsuta
O cacto estrela (Stapelia hirsuta), também conhecido por estapelia, pertence à família das Asclepiadaceae. Apesar do nome e do aspeto, esta planta não é um cacto, é uma suculenta. Têm uma particularidade invulgar, oferece uma bonita flor aveludada, em forma de estrela de 5 pontas, que libertam um odor nauseabundo, fazendo lembrar a carne em decomposição. A finalidade é atrair polinizadores como moscas, a mosca varejeira e o besouro, que ao pousarem na planta, transportam o pólen de uma flor para o ovário de outra.  Na verdade estes inseto são "enganados" pela flor, são atraídos pelo cheiro e convencidos que encontraram uma fonte de alimento para as suas larvas, ai depositam os seus ovos. Em pouco tempo a flor fecha com os ovos dentro, que acabam por não eclodir. O cacto estrela acaba por ser uma planta interessante no controle da mosca varejeira.

O cacto estrela é originário da África do Sul, é uma sobrevivente que cresce num ambiente rústico, onde se alastra rapidamente no chão e cria a aparência de tapete. As hastes também têm grande valor ornamental, são carnudas, ostentam 4 faces e na interceção são meio serrilhadas, mas não apresentam espinhos.

Como cuidar do cacto Estrela (Stapelia hirsuta)


Luz: Gosta de sol pleno, porém tolera um ligeiro sombreamento. Se não receber luz suficiente o cacto estrela não floresce.

Rega: Ao contrario da maioria das suculentas, o cacto estrela aprecia regas regulares, contudo deve evitar os excessos.

Temperatura: O cacto estrela oferece alguma resistência ao frio e ao calor, porém em invernos demasiado extremos, convém resguardar a planta.

Floração: Geralmente inicia no Verão e estende-se até ao Outono. Os botões florais também são chamativos, parecem umas pequenas pirâmides que vão abrindo lentamente até alcançar a plenitude de uma das flores mais bonitas, porém de pequena duração.

Solo: O cacto estrela aprecia o substrato indicado a cactos e suculenta, porém também se desenvolve bem noutros tipos de solos, desde que ofereçam uma boa drenagem.

Multiplicação: O cacto estrela multiplica-se facilmente por estaca ou por divisão de touceira ou por semente. A propagação por estacas deve ser efetuada durante o período de crescimento ativo, de modo a garantir um bom enraizamento. É recomendado deixar a estaca a cicatrizar num local à sombra, por uns dois dias antes de plantar.
As sementes levam aproximadamente 1 ano a amadurecer, mas germinam rapidamente após a sementeira.

Pragas: A cochonilha é um dos problemas mais comuns do cacto estrela, geralmente atacam os caules subterrâneos e a base superficial. Geralmente um jato de água pode ajudar, em casos mais severos limpe as partes contaminadas com uma solução de água com álcool metilado, á razão de 50/50.

Onde plantar: Pela sua resistência, cacto estrela pode ser plantado de várias formas, em vaso ou diretamente no solo. É ideal para jardins de pedra onde combina muito bem com outras plantas do mesmo género. Pode ser colado no interior ou exterior, contudo quando colocado dentro de casa, deve ter em atenção o mau cheiro que a flor exala ao abrir, há inclusive quem corte o botão com o fim de prevenir os odores desagradáveis.

Nomes comuns: Flore estrela, estrela do mar africana, flores de carniça, flor carniça, planta sapo, cacto estrela do mar, estapélia.

Cultivo da erva príncipe

Cultivo da erva príncipe ou Capim Santo
A erva príncipe (Cymbopogon citratus) é uma graminea tropical, que consegue adaptar-se a clima mais frios, desde que não seja exposta a temperaturas negativas. É uma planta medicinal muito apreciada pelo seu agradável aroma a limão e por todos os benefícios que apresenta para a saúde. Possui propriedades anti depressivas, anti inflamatorias, calmantes, sedativas, anti sépticas, anti fúngicas, febrifúgas e anti espasmódicas.

A erva príncipe é uma planta erbácea da familia das Poaceae, também conhecida por capim limão, capim santo, erva limeira e capim cidreira. É uma planta nativa das regiões tropicais da Asia, principalmente da India, contudo desenvolve-se bem em várias partes do mundo, desde que as temperaturas não desçam abaixo de 0º. Em climas de invernos mais severos é recomendado o seu cultivo em vasos, de modo a recolhe-la e protegê-la do frio.

No jardim a erva príncipe representa uma linda e frondosa planta ornamental que emana um suave e agradável aroma a limão no ambiente que a circundacom e apresenta uma ação repelente contra diversas pragas. Na Tailandia e no Brasil é cultivada perto de pantanos com o fim de afastar os mosquitos. Geralmente alcança em média 60 a 80 cm de altura, porém pode ultrapassar esta medida e ultrapassar um metro. É uma excelente opção para canteiros e bordaduras de jardins irrigados.

Como plantar erva príncipe


A erva príncipe propaga-se facilmente por divisão de touceiras. As suas raízes são pouco profundas e facilmente se separam caules da planta mãe, sem a necessidade de a desenterrar. Deste modo modo acaba por ser muito fácil multiplicar a erva príncipe, seja no solo ou em vaso. No seu meio natural a erva príncipe também se multiplica via semente, porém fora do seu habitat  natural ela muito raramente produz flores.

Tetire um rebento , dê um pequeo corte no comprimento das folhas e enterre a raiz e toda a parte branca do caule, deixando a folhas acima do solo.
Na fase inicial ou seja durante o pegamento da nova plantinha de erva príncipe, deve manter o solo sempre húmido de modo a não deixar a planta desidratar. Se a plantação se tenha sido executada em vaso, coloque este à sombra nos primeiros dias.

O espaçamento deve respeitar os 50 cm entre plantas e 50 a 75 cm entre linhas. O capim limão também pode facilmente sobreviver em vasos, é recomendado que estes tenham pelo menos 30 cm de diâmetro e 30 cm de profundidade.

Tratos culturais da erva príncipe 


Aprecia uma boa exposição solar, com luz solar direta pelo menos algumas horas por dia. Também sobrevive em local de meia sombra, porém o sol ajuda a aumentar a concentração dos óleos essenciais.

A erva príncipe (capim limão) aprecia solos com textura média argilosa, fertilidade mediana e boa drenagem. O pH ideal situa-se entre os 5,0 e os 6,5. Fora destes parâmetros deve-se efetuar a corecção antes do plantio.

Na fase inicial a rega deve ser regular, de modo a manter o solo húmido mas sem encharcamento, depois poderá espaçar a rega. Quando regar evite molhar as folhas, opte por regar na área circundante, já que a planta é sensivel a doenças fúngicas como o mildio.

Mantenha a plantas de erva príncipe livre de ervas daninhas, de modo a que estas não entrem em competição pelos nutrientes, principalmente na fase inicial do plantio.

Faça uma limpesa periodica da sua planta, retire as folhas secas, de modo a prevenir a doenças fúngicas.

Com o tempo a planta tende a formar um raizame espesso, com pouco espaço para crescer. A cada 3 ou 4 anos divida as touceiras da erva príncipe, de modo a melhorar a produtividade do mesmo.

Colheita da erva príncipe


Geralmente a colheita da erva príncipe realiza-se 4 a 5 meses após o plantio. O corte das suas folhas deve ser feito com uma tesoura, 3 a 4 dedos acima do ponto de inserção do caule. O ideal é realizar o corte pela manhã, quando as folhas apresentam uma maior concentração de óleos essenciais. As folhas são finas e cortantes e devem ser manipuladas com cuidado, elas facilmente cortam a pele.

Como secar a erva príncipe: Após a colheita, corte as folhas em pedaços mais pequeno com ajuda de uma tesoura afiada. Coloque-as a secar num local seco e sombreado sobre uma malha fina. Depois de secas guarde-as num pote de vidro.

A erva príncipe é uma planta perene de crescimento rápido, quando exposta às condições ideias de calor e humidade, depois de cortada volta a crescer rapidamente voltando a recuperar o tamanho em pouco tempo.

Nomes comuns: capim limão, capim santo, capim cidró capim cheiroso e capim cidreira. Lemongrass (em inglês) e citronelle (em francês).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...