9.22.2017

Cultivo e produção de Araça

Cultivo e produção de Araçá

Hoje vou falar de uma árvore subtropical, o araçá ou araçazeiro, pertence à espécie Psidium Cattleianum, da família Myrtaceae e têm com origem no Brasil. Falamos de uma árvore que floresce de Junho a Dezembro e os seus frutos amadurecem de Setembro a Março. As suas flores são brancas com muitos estames e nascem nas axilas das folhas, resultam em pequenos frutos redondos com polpa doce e sumarenta, plena de benefícios.

Até à bem pouco tempo eu desconhecia a existência do araçazeiro, foi-me dado a conhecer por uma amiga que a tinha dois exemplares carregada de fruto no quintal , fiquei fascinada. Para melhorar o meu fascínio aínda tive direito à prova dos dois tipos, o araçá vermelho e o araçá amarelo, gostei dos dois mas o vermelho cativou-me mais, o seu sabor faz-me lembrar uma mistura de manga e a goiaba.
Para melhorar ainda tive direito a duas plantas, que já frutificaram sem nenhuma dificuldade. Já ultrapassaram dois Invernos, umas boas camadas de geada e a travessura dos meus cães. Moral da historia: O araçá dá-se muito bem em Portugal.

Solo e localização ideal do araçazeiro


As condições ideais para a planta do araçá, são um solo arenoso rico em matéria orgânica, com pH entre 4,5 e 6,2. Contudo adapta-se bem a outro tipo de solos desde que bem drenados. O araçazeiro é uma árvore de origem subtropical todavia adapta-se a diversos tipos de clima, pode inclusive resistir a temperaturas negativas até - 4º e suportar períodos curtos de encharcamento do solo. Características que permitem o cultivo e a produção de araçá em Portugal.

Sementeira e plantação do araçá


A propagação do araçazeiro é feita por semente, que têm a particularidade de germinar muito bem. Geralmente germinam espontaneamente dos frutos caídos das árvores. O método habitual é retirar a semente de frutos maduros, lavá-las e secá-las. Coloca-se 4 a 5 sementes a uma profundidade de 1 cm, num vaso com aproximadamente 20 cm, cheio de substrato, rega-se com moderação e espera-se pela germinação que se dará entre 20 a 40 dias conforme as condições e a temperatura do ambiente.

Quando as plantas alcançarem 50 a 60 cm, mude para um local ensolarado com solo rico em matéria orgânica. Abra uma cova com pelo menos 50 cm de largura e profundidade e enriqueça-a com húmus decomposto, aconchegue a planta e regue generosamente.

Tratos culturais do araçazeiro


A planta cresce rapidamente e não requer muitos cuidados. Porém ela se desenvolverá melhor se anualmente durante o inverno, fizer uma adubação de cobertura com estrume bem curtido ao redor da árvore e se fizer a monda das ervas daninhas de forma a não as deixar competir com o araçazeiro. Também é importante fazer uma poda de formação, eliminar os ramos mortos, retirar os rebentos da base e arejar o interior da árvore.

Sugiro que veja também: Cultivo do abacateiro

9.18.2017

Calda de mamona contra doenças e pragas

Calda de mamona contra doenças e pragas

A mamona é uma planta tóxica que pertence à família das Euforbiaceas. Possui características físicas inconfundíveis, a começar pelas folhas grandes e pecioladas com a forma de estrela de oito pontas. As flores são unissexuadas, coexistindo os dois sexos no mesmo ramo.

A planta da mamona é cultivada no Egipto desde a antiguidade, pensas-se que ela foi dispersada pelos escravos na antiga época colonial. Na altura o óleo obtido da planta era usado na lubrificação dos instrumentos utilizados na transformação da cana de açúcar. Hoje o óleo é usado com fins medicinais: Benefícios do óleo de rícino

Mas hoje vamos falar especificamente da calda de mamona, que é de extrema utilidade na agricultura.  A calda de mamona detém propriedades insecticidas, fungicidas e até algum efeito biofertilisante, combate diversas doenças provocadas por fungos e vírus, é utilizada como adubação foliar e como repelente de diversos insectos. Ela pode ser aplicada na horticultura no geral, nas árvores de fruto, nas flores e plantas de interior.
Ao aplicar deve borrifar a planta de modo homogénio de forma que as toxinas da mamona actuem devidamente sobre as pragas. Falamos especificamente da toxina ricina e da toxina reacinina, juntas elas ajudam a danificar as paredes das células das pragas.

Como preparar a calda de mamona


Vai necessitar de uma proporção de 4 folhas de mamona grandes para um litro de água.

Extraia o talo às folhas de mamona, eles não têm interesse, é na folha que se concentram os princípios activos.
Rasgue e coloque as folhas de mamona num recipiente junto com a água e com a ajuda de um pau pressione bem as folhas, a finalidade é extrair o máximo de princípios activos.
Depois das folhas bem pizadas, deixe-as a macerar no escuro por doze horas. A melhor maneira é preparar a solução no fim de tarde e deixar actuar durante a noite, a luz pode alterar as qualidades da solução.

Depois de decorrido o tempo indicado, coe a calda e passe-a para o pulverizador à razão de um litro de caldo para 9 litros de água.
No acto da pulverização tenha o cuidado de evitar as horas de mais calor, sob o risco de provocar queimaduras das plantas. A melhor maneira de não correr riscos é aplicar a solução ao final da tarde, é uma hora de menos calor e têm a noite pela frente.
Outro cuidado que deve ser tido em conta é a protecção pessoal, já que esta calda de mamona também é tóxica para nós seres humanos e animais no geral.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...